Deficientes Visuais
Principal
Pesquisadores
Publicações e Artigos
Atividades Realizadas
Agenda
Fotos
Ensino de Matemática para Deficientes Visuais

 

 

O grupo de Ensino de Matemática para Deficientes Visuais iniciou-se em 2006 e tem como objetivos:

-  Entender como se dá o processo de aprendizagem por estes alunos em algumas áreas da matemática;

-       Verificar como reconhecem e conceitualizam o espaço ao seu redor;

-      Verificar quais as áreas que o professor com alunos deficientes em sua sala encontra mais dificuldade em ensinar;

-       Elaborar materiais que auxiliem o aprendizado destes alunos;e

-       Aplicar atividades que possam ser posteriormente divulgadas.

Trabalhamos com alunos deficientes visuais (cegos e de baixa visão) do Instituto Benjamin Constant e este ano iremos começar a trabalhar também com alunos incluídos no ensino regular de escolas municipais. Aplicamos também as atividades planejadas com alunos do ensino regular,  não somente para fins de comparação, mas também para que os  professores das escolas envolvidas na aplicação as conheçam, caso recebam algum aluno com necessidades especiais.

Já elaboramos atividades para o ensino de simetria, visualização de figuras espaciais, funções e, no momento atual, estamos planejando e aplicando atividades que envolvam interpretação de gráficos e construção de tabelas. Paralelamente, lemos artigos e dissertações que tratam de diversos aspectos relacionados ao ensino e à aprendizagem deste público, tais como: uso do material didático; formas como se dá o “conhecer” estudadas pela psicologia tópicos da matemática propriamente ditos.

Fruto de nosso trabalho é o livro Atividades matemáticas para Deficientes Visuais, publicado em 2010 onde divulgamos atividades, incluindo os materiais necessários para realizá-las de Geometria, Visualização e Funções.

   Reconhecemos a importância do tema que escolhemos quando participamos de encontros de professores. O professor que recebe algum aluno com necessidade especial em geral sente-se  inseguro no início e anseia por conhecer algum grupo ou instituição a que possa recorrer.  Acreditamos que temos o dever não somente de continuar nosso trabalho, como também divulgá-lo. 

 


 

 

© 2014 Projeto Fundão
Universidade Federal do Rio de Janeiro